Gagarine: "bora lá" para o espaço

12-04-2021

Primeiro voo espacial humano aconteceu a 12 de abril de 1961, faz agora 60 anos. Cosmonauta Yuri Gagarine tornou-se um herói não só da União Soviética, como do mundo. A Rússia está a celebrar por estes dias o feito do seu filho, mas mesmo os Estados Unidos se juntaram à homenagem, através de um foguetão com dois cosmonautas russos e um astronauta americano, que esta sexta-feira descolou de Baikonur.

"Poékhali", disse o russo Yuri Gagarine, já com o coração fortemente acelerado, quando o foguetão que levava a Vostok 1 começou a descolagem. Por trás deste confiante "bora lá" é impossível imaginar o que se estava a passar na cabeça do primeiro homem a ir ao espaço, faz agora 60 anos. Em terra, ou melhor na Terra, ficavam a mulher Valentina e as filhas, Yelena e Galina, a mais pequena uma bebé com um mês. Cá em baixo, a olhar para o céu onde o filho se aventurava, também Alexey, o pai, e Anna, a mãe, ambos trabalhadores num kolkhoze, uma quinta coletiva, assim como milhões de cidadãos da União Soviética, fascinados com o feito científico do país. 

O voo de Gagarine durou menos de duas horas. O piloto de caças de 27 anos pôde observar a 250 quilómetros de altitude o azul do planeta à medida que a Vostok 1 percorria quase uma diagonal através do oceano Pacífico, depois outra quase diagonal da Antártida até à União Soviética, cruzando o Atlântico e África. A partida foi de uma base de lançamento de mísseis no Cazaquistão, depois batizada Baikonur, e o ponto de chegada acabou por ser também em território dessa república da Ásia Central, independente desde 1991, quando a União Soviética se desagregou.