O dia a dia na primeira escola para mulheres da Europa, o Instituto Smôlni

04-11-2022

Inicialmente, eram as herdeiras dos sobrenomes mais proeminentes de São Petersburgo que viviam ali, de uma "maneira espartana". Mas a partir de 1765 mulheres de classes mais baixas também passaram a ser admitidas. 

Catarina, a Grande, que buscou espalhar o Iluminismo por todas as esferas da sociedade - apesar da perseguição de judeus e de sua taxação dobrada sob seu governo e de um posicionamento muito próximo do chamado "despotismo esclarecido" -, não deixou de lado a questão da educação feminina. Fundado por ela no final do século 18, o Instituto Smôlni para Nobres Donzelas foi a primeira instituição estatal educacional para moças na Europa.

As regras do Instituto Smôlni iam contra a visão da maioria dos aristocratas da época sobre suas herdeiras: a instituição foi projetada para derrubar convenções sociais ultrapassadas. Embora as meninas fossem orientadas para o casamento (o que, aliás, ocorreu com a maioria das graduadas), a educação no instituto tinha por objetivo formar uma mulher da nova era, capaz de refinar o ambiente em que se encontrava e educar seus filhos em um espírito iluminista.

Para mais informação: Russia Beyond